EUA exigem que banco japonês aprimore meios contra lavagem de dinheiro


O Escritório do Controlador da Moeda (OCC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos ordenou três filiais americanas do maior banco do Japão a fortalecer os controles contra a lavagem de dinheiro, depois de encontrar pontos fracos em seus procedimentos de “due diligence” e gerenciamento de risco.

O OCC emitiu uma ordem de cessação para as sucursais de Nova York, Chicago e Los Angeles da MUFG Bank Ltd, uma subsidiária da Mitsubishi UFJ Financial Group, sediada em Tóquio. O OCC disse que as agências não conseguiram apresentar relatórios sobre atividades suspeitas de clientes em tempo hábil e que havia “deficiências sistêmicas” na forma como as agências monitoravam transações de alto risco e contas correspondentes para instituições financeiras estrangeiras.

O MUFG não é obrigado a pagar uma multa financeira, de acordo com a ordem do OCC, mas deve fortalecer seus procedimentos de avaliação de risco e o cumprimento das leis contra lavagem de dinheiro. O pedido também exige que o banco desenvolva um plano de remediação e garanta que ele tenha funcionários de compliance qualificados na equipe de suas agências para conduzir auditorias regulares e avaliações de risco.

“O MUFG Bank está tomando medidas corretivas imediatas para garantir que haja uma reparação completa de todas as deficiências que o OCC delineou”, disse um porta-voz do MUFG em um comunicado enviado por e-mail. “Fizemos investimentos substanciais ao longo dos últimos anos para nos colocar em total conformidade.”

A medida do OCC ocorre em meio ao escrutínio do MUFG sobre sua conversão para obter uma licença bancária federal no fim de 2017. As agências do MUFG antes eram supervisionadas pelas autoridades reguladoras estaduais. O Departamento de Serviços Financeiros (DFS) de Nova York notificou a empresa em 2013 e 2014, dizendo que o sistema de monitoramento do MUFG para países sob sanções era insuficiente. O MUFG pagou US$ 565 milhões em multas relacionadas.

Na época da mudança da licença, o DFS estava se preparando para punir o MUFG por não fazer o suficiente para monitorar se os clientes estavam evitando as sanções dos EUA contra países como Irã e Coréia do Norte. O MUFG, desde então, travou uma batalha judicial com o regulador de Nova York, que criticou a conversão da licença para o âmbito federal como uma forma de arbitragem regulatória, na qual os bancos procuram supervisores mais brandos.

Além das três filiais citadas na ordem da OCC, o MUFG opera um banco regional de US$ 131 bilhões em ativos em São Francisco, conhecido como MUFG Union Bank. A decisão do regulador emitida na sexta-feira (22) não se aplica às operações desse banco regional.