Côrtes é condenado a 16 anos e 9 meses de prisão por corrupção na Saúde


RIO – O ex-secretário estadual de Saúde do Rio Sérgio Côrtes foi condenado a 16  anos, nove meses e 13 dias de reclusão por desvios na pasta que comandou durante o governo de Sérgio Cabral. Ele foi setenciado pelo juiz Marcelo Bretas no último dia 13 pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Também foram condenados os empresários Miguel Iskin (24 anos, sete meses e 23 dias por corrupção ativa e lavagem de dinheiro) e Gustavo Estellita ( 21 anos, um mês e 16 dias por corrupção ativa e lavagem de dinheiro) e a mulher de Côrtes, Verônica Fernandes Vianna (quatro anos e cinco dias por lavagem de dinheiro e evasão de divisas).  Bretas absolveu Verônica do crime de corrupção passiva.

Entre as acusações, o Ministério Público Federal (MPF) apontou que, em maio e agosto de 2011,  o ex-secretário, com o auxílio da mulher, recebeu propina dos dois empresários em razão de seu cargo, no valor de US$ 2,4 milhões, pagos em conta no exterior. Também, segundo os procuradores, praticou lavagem de dinheiro para dissimular o recebimento da quantia.

Côrtes já havia sido condenado no fim de janeiro a 15 anos de prisão por corrupção passiva e pertencimento a organização criminosa. Iskin e Estellita também foram sentenciados nesse processo, acusados de pagar propina para fraudar contratos da área de saúde. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o esquema consistia no direcionamento nas licitações de serviços e equipamentos médicos com a participação de empresas estrangeiras, com aplicação de sobrepreço e no qual foram pagos mais de R$ 16,2 milhões em vantagens indevidas.

Fonte: O Globo