Comissão aceita acordo e KPMG vai pagar multa de R$ 1,5 milhão


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informou ontem ter fechado termo de compromisso no valor de R$ 1,5 milhão com a empresa de auditoria KPMG no caso Sadia, que apurava as responsabilidades pelas perdas de R$ 2,5 bilhões contabilizadas pela empresa do ramo de alimentos em 2008, após operações com derivativos cambiais.

A KPMG era acusada junto com os sócios e responsáveis técnicos Adelino Dias Pinho e Carlos Augusto Pires. O valor será pago em conjunto e, com o acordo, os três se livram do processo sem que haja presunção de culpa.

A decisão divulgada ontem foi tomada em 19 de abril. A CVM já tinha negado acordo anteriormente no valor de R$ 350 mil. KPMG e Pinho pagariam R$ 300 mil e Pires, R$ 50 mil.

A rejeição aconteceu em 14 de dezembro, no mesmo dia em que a CVM condenou dez ex-administradores da Sadia a pagamento de multas entre R$ 200 mil e R$ 400 mil cada, somando R$ 2,6 milhões, em processo ligado às mesmas operações.

A KPMG havia sido acusada, na qualidade de sociedade de auditoria independente responsável pela emissão do parecer de auditoria sobre as demonstrações contábeis encerradas em 31/12/07 da Sadia e pela emissão dos relatórios de revisão especial sobre as informações trimestrais do período que foi de junho a setembro de 2008.

Adelino Dias Pinho havia sido acusado de descumprir normas técnicas, na qualidade de sócio e responsável técnico da KPMG signatário do parecer de auditoria emitido sobre as demonstrações contábeis encerradas em 2007. E Carlos Augusto Pires havia sido acusado de descumprir normas técnicas sobre as informações trimestrais em setembro de 2008.