Coaf colabora em mega operação contra lavagem de dinheiro com Bitcoin


Com colaboração do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), a Polícia Civil do Estado de São Paulo, por meio da Delegacia de Polícia de Investigações Sobre Crimes de Lavagem ou Ocultação de bens ou Valores (DPPC) e várias outras autoridades brasileiras estão realizando uma grande operação focada na lavagem de dinheiro usando Bitcoins e outras criptomoedas.

A Investigação tem um grande escopo e está atingindo não apenas pessoas específicas, mas também supostos operadores de esquemas de pirâmides, fundadores de uma empresa de entretenimento, autopeças, viagens, jogos, provedores de internet, vendedores [1].”>p2p populares no mercado e outras entidades.

Segundo o site, a COAF já vinha realizando uma investigação através de um Relatório de Inteligência Financeira (RIF) sobre uma determinada pessoa (na qual os dados não foram revelados para não atrapalhar a investigação). A partir deste primeiro investigado, foram descobertos outros membros de uma rede e o escopo da investigação foi aumentando.

Relatório sobre a pessoa X: “O qual movimentou quantidade expressiva de recursos, incompatível com sua capacidade financeira e em período curto de tempo, principalmente por meio da realização de operações de câmbio. As transferências internacionais estariam relacionadas a aquisição e venda de bitcoins, segundo informado pelo próprio investigado”

Ao seguir a investigação, a COAF chegou em uma das exchanges mais populares do Brasil e se depararam com uma lista com mais de 23 nomes envolvidos em crimes de lavagem de dinheiro. No total, foram movimentados cerca de $40 milhões.

Os nomes listados no processo chegaram as autoridades quando os volumes e negociações da exchange foram desmembrados e identificou-se que 90% das negociações no período investigado inicialmente (transações entre 2015 e 2016) foram realizadas por estas pessoas sendo que cada uma movimentava de R$ 100 mil a R$ 1 milhão em um tempo em que o preço do Bitcoin não passava de $800.

De acordo com a polícia, essas são movimentações totalmente fora da renda dos tais investigados.

A investigação e o processo estão em andamento e não há previsão de conclusão dos trabalhos. Mas vale ressaltar que esta seria uma das maiores investigações em curso sobre lavagem de dinheiro com criptomoedas no Brasil.

sse tipo de investigação tem vários fatores que a tornam importante. Um eles é como a justiça vai reagir a um valor tão grande supostamente lavado através de criptomoedas e como isso vai influenciar as decisões de regulamentações no futuro próximo.