Cidades brasileiras têm atos a favor da Lava Jato

Ao menos 14 cidades e o DF tiveram manifestações apoiando a Força Tarefa. Prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva completa um ano neste domingo


Manifestações a favor da Lava Jato foram realizadas em diversos municípios do país neste domingo (7), na data em que a prisão do ex-presidente Lula completa um ano. Ao menos 14 cidades e o DF tiveram atos apoiando a Força Tarefa.

No mesmo dia, protestos a favor do ex-presidente Lula e contra sua prisão também foram realizados pelo país.

As convocações para os atos a favor da Lava Jato foram feitas pelo Movimento Brasil Livre e outros grupos.

Manaus: cerca de 150 pessoas participaram do ato, segundo a organização. O início estava previsto para 10h (horário de Brasília), mas os manifestantes começaram a se reunir por volta das 11h. Foi realizado na Ponta Negra, bairro nobre da Zona Oeste de Manaus. A organização posicionou um trio elétrico e deu voz a líderes de movimentos do Amazonas. Os discursos contaram com comemoração pelo 1º ano completo de prisão do ex-presidente Lula. Houve críticas a decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

Bahia

Salvador: cerca de 300 pessoas participaram de manifestação em apoio ao juiz Sergio Moro e ao pacote anticrime apresentado por ele. o Ato começou por volta das 10h, no Farol da Barra, e foi organizada pela Ordem dos Médicos do Brasil (OMB), Movimento Vem Pra Rua Bahia, Web Rádio Republicana e Movimento Nas Ruas. Não houve registro de confusão e nem de alterações do trânsito

Distrito Federal

Brasília: a manifestação reuniu cerca de 1.000 pessoas em frente ao Congresso pela manhã. O ato foi contra o ex-presidente Lula.

Minas Gerais

Belo Horizonte: o número de participantes não foi divulgado pela organização e nem pela Polícia Militar. A concentração começou às 10h30, na Praça da Liberdade, e não foram registrados incidentes. Houve críticas a decisões do STF durante o ato.

Pará

Belém: um grupo com cerca de 200 pessoas do Movimento Brasil Livre marcharam pelas ruas de Belém durante a manhã. A caminhada saiu da escadinha do cais do Porto as 10h da manhã e seguiu pela avenida Nazaré. Com cartazes e faixas, os manifestantes pediam justiça para todos. Por conta da caminhada o trânsito em uma das avenidas mais movimentadas da capital ficou parado. A polícia e o Departamento de Trânsito do Pará (Detran) acompanharam a manifestação que seguiu de forma pacifica.

Paraná

Curitiba: cerca de 800 pessoas participaram do ato a favor da Lava Jato, de acordo com a Polícia Militar; os organizadores afirmam que foram 5 mil pessoas.

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro: um ato a favor da Lava Jato e da prisão em segunda instância foi realizado na orla de Copacabana entre 10h e 13h. A coordenadora do Vem Pra Rua, Adriana Balhtazar, não divulgou uma estimativa de público. A PM informou que acompanhou o ato e não houve ocorrências, mas também não informou o número de presentes. Um carro de som trazia um desenho do ex-presidente Lula com uniforme de presidiário. Houve críticas também a decisões do STF.

São Paulo

Jundiaí: cerca de 800 pessoas participaram do ato, de acordo com os organizadores. Foi organizado pelos Movimentos Brasil Livre, Direita São Paulo e Vem para Rua. Os manifestantes caminharam com faixas e cartazes pedindo a aprovação do projeto de lei anticrime do ministro Sérgio Moro. Houve criticas também a decisões do STF.

Bauru: cerca de 300 pessoas compareceram à manifestação, de acordo com a Polícia Militar; a organização disse que 500 compareceram. O movimento se considera apartidário e a favor da Lava Jato.

Mogi das Cruzes: cerca de 30 pessoas participaram da manifestação convocado pelo Vem Pra Rua; O ato aconteceu de 9h30 às 12h30. Os manifestantes se concentraram na Praça Oswaldo Cruz, com um carro de som e vestidos com a camiseta do Brasil. Houve críticas a decisões do Supremo Tribunal Federal (STF). O microfone estava aberto para quem quisesse discursar e, por conta da baixa adesão, não houve uma caminhada até o Fórum como era previsto. No final, os manifestantes cantaram o hino do Brasil e parte se dispersou.

Ribeirão Preto: cerca de 500 pessoas participaram do ato neste domingo, segundo a Polícia Militar. Um trio elétrico acompanhou o grupo e diversas pessoas se revezavam ao microfone, discursando em apoio à Lava Jato, à favor do Pacote de Medidas Anticrime.

Rio Preto: cerca de 700 pessoas participaram da manifestação, segundo a Polícia Militar; os organizadores afirmar que mil pessoas compareceram. Os manifestante se posicionaram a favor da Lava jato e do ministro Sérgio Moro.

São José dos Campos: cerca de 200 pessoas participaram da manifestação. A expectativa da organização era de que 2 mil pessoas participassem.

São Paulo: manifestantes fizeram ato de apoio a Lava Jato neste domingo na Avenida Paulista. O protesto aconteceu ao mesmo tempo que outro grupo pedia que o ex-presidente Lula fosse solto. Houve confusão entre os dois grupos. A organização do ato e a Polícia Militar não divulgaram o número de participantes.

Sorocaba: cerca de 100 pessoas participaram da manifestação, segundo a organização; a Polícia Militar divulgou o mesmo número. Realizado pela manhã, o ato foi organizado pelos Movimentos Brasil Livre e Direita São Paulo.

STF comenta: manifestações são naturais

Em nota, o STF informou entender “que manifestações pacíficas como as de hoje são naturais em uma democracia consolidada, como a do Brasil, garantidas pela Constituição Federal e já reafirmadas em diversas oportunidades pelo próprio STF”.