Cameron promete combater lavagem de dinheiro em imóveis britânicos


Imóveis que somam 120 bilhões de libras esterlinas (R$ 624 bilhões) na Inglaterra e País de Gales pertencem a empresas offshore; quase uma em cada dez propriedades em Westminster (9,3%), 7.3% das de Kensington e Chelsea e 4,5% em Londres pertencem a companhias registradas em paraísos fiscais.

Contra estes números, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, deve fazer nesta terça-feira, durante visita a Cingapura, um discurso prometendo agir contra corruptos estrangeiros que compram imóveis de luxo no Reino Unido usando empresas offshore.

O primeiro-ministro quer combater a lavagem de dinheiro usando propriedades britânicas. Ele pretende criar, no outono (primavera no Brasil) uma central de registro de terras detidas por companhias estrangeiras. Cameron também planeja aumentar o cerco para conhecer os verdadeiros donos de empresas atuando no Reino Unido.

Em março, a ONG Transparência Internacional denunciou que offshores são um meio comum de movimentar dinheiro de corrupção.