Brasil sobe em ranking internacional de combate à corrupção pela primeira vez

Transparência Internacional divulgou relatório sobre corrupção transnacional. Em Johanesburgo, na África do Sul, força-tarefa da Lava Jato recebeu prêmio.


Pela primeira vez, o Brasil melhorou de posição num ranking internacional de combate à corrupção.

Em Johanesburgo, na África do Sul, a força-tarefa da Lava Jato recebeu um prêmio especial. A Associação Internacional do Ministério Público destacou que o combate à corrupção e à fraude em grande escala ajudou no fortalecimento do estado de direito no Brasil.

No Rio, a Transparência Internacional divulgou um relatório sobre corrupção transnacional, que é o pagamento de propina por empresas para autoridades de outros países.

Pela primeira vez, o Brasil melhorou neste ranking. Três anos atrás, estava na pior posição, quando aparecia no grupo de países com pouco ou nenhum combate à corrupção. Em 2018, subiu para a segunda melhor categoria, chamada de “esforço moderado”.

O Brasil está agora ao lado países como Portugal, Suécia e Austrália.

O levantamento foi feito em 44 países que são responsáveis por 80% das exportações mundiais. Segundo o estudo, o Brasil melhorou no ranking da corrupção, por causa de investigações sobre suborno transnacional praticado por empresas brasileiras.

A melhora do Brasil no ranking da corrupção foi por causa, principalmente, da “conclusão satisfatória do caso envolvendo a Embraer”, que deu propina para vender aviões militares a outros quatro países. A empresa pagou indenização e, com isso, encerrou a acusação.

“A Operação Lava Jato é um grande sinal de mudança nos tempos do Brasil. Também demostrou um novo momento de disposição dos órgãos públicos em atuar no combate à corrupção transnacional”, disse Guilherme Franz, consultor da Transparência Internacional.