Bolívares venezuelanos encontrados no Caju seriam usados para falsificar dólares

Principal linha de investigação aponta que dinheiro encontrado dentro de caixa forte do Banco Central do Iraque seria usado como matéria-prima para falsificar dólares


Os milhões de bolívares venezuelanos apreendidos dentro de uma caixa forte do Banco Central do Iraque (Central Bank of Iraq) encontrada no Caju, na Zona Portuária do Rio, seriam usados como matéria-prima para falsificar dólares. Esta é a principal linha de investigação do caso, segundo o delegado Fabrício Oliveira, titular da 22ª DP (Penha).
 
Não é a primeira vez que uma grande quantidade da desvalorizada moeda venezuelana é apreendida no país, tampouco no Caju. Apenas em 2016, sete grandes apreensões foram realizadas, quatro delas em Roraima. No ano seguinte, em fevereiro, a polícia paraguaia encontrou 25 toneladas de bolívares em uma fazenda na cidade Saltos del Guairá, na fronteira com o Brasil. E, em março, policiais encontraram 40 milhões de bolívares no mesmo Caju em que a moeda foi novamente encontrada nesta quinta-feira.
 
A Polícia Civil afirma que a quantidade de bolívares ainda será contabilizada. O material foi achado após os agentes serem informados que uma quantidade de dinheiro estrangeiro, guardado em uma transportadora, seria enviado a Miami. Os dois responsáveis pelo dinheiro não foram identificados, e serão autuados pelo crime de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
A investigação do caso seguirá para a Justiça Federal e para a Polícia Federal.