Bitcoin é usado em esquema no Brasil para lavar dinheiro, revela doleiro


O doleiro Dario Messer, réu da Operação Lava Jato, realizou um acordo de delação premiada junto aos procuradores do Ministério Público Federal e com a Polícia Federal.

Durante o depoimento, Masser revelou a existência de um esquema de lavagem de dinheiro envolvendo o uso de Bitcoin. No acordo, Masser se comprometeu a devolver R$ 1 bilhão à justiça.

Evasão de divisas com Bitcoin

Conforme noticiou a CNN Brasil nesta quinta-feira, dia 13 de agosto, trata-se de uma nova técnica para evasão de divisas.

Messer ainda disse que não usou o esquema de lavagem de dinheiro com Bitcoin. No entanto, deu detalhes sobre o perfil dos criminosos.

Eles são jovens, com amplo domínio de computadores e operam muitas vezes fora do Brasil. Portanto, a partir de agora que a delação foi homologada, os inquéritos serão abertos com este foco.

Doleiro da Lava Jato vai devolver imóveis

Ainda de acordo com a CNN, Messer é réu da Lava Jato no Rio de Janeiro por lavagem de dinheiro e outros crimes.

Por isso, para membros do MPF e da PF no Rio, o acordo de delação é “inédito” na história da investigação.

O doleiro citou ainda que políticos do Rio de Janeiro e empresários se beneficiaram de seu esquema de lavagem de dinheiro e envio de remessas para o exterior.

Além de se comprometer a devolver R$ 1 bilhão, o doleiro também abriu mão de quase a totalidade de seu patrimônio.

Também se comprometeu a entregar obras de arte e US$ 17 milhões encontrados em uma conta nas Bahamas.

Além disso, ele também vai devolver imóveis na Zona Sul do Rio de Janeiro, um apartamento em Nova Iorque e terrenos e fazendas no Paraguai.

Entretanto, há entraves que dificultam o cumprimento do acordo. Um destes entraves é a necessidade de um acordo entre Brasil e Paraguai para dividir o montante.

Vale ressaltar que Messer também é réu em ações penais que tramitam no Paraguai.

Pena de três anos

A pena estipulada para o doleiro, segundo a CNN, é de três anos em regime fechado e, no máximo, 18 anos de pena.

Assim, cumprida a pena, Messer ainda poderá usufruir de um apartamento na Zona Sul do Rio e de cerca de R$ 1 milhão.

A pena foi comemorada pelos investigadores. Trata-se de uma pena considerada dura, mesmo para os padrões da Operação Lava Jato.

Conhecido como “o doleiro dos doleiros”, Messer foi o principal alvo da operação “Câmbio, Desligo” em 2018. Esse desdobramento da Lava Jato investigava um sistema de transações ilegais de câmbio em 52 países.

Banner Ebook Histórico PLD

Fonte: Criptofacil