BC aperta fiscalização no câmbio

Por Eduardo Campos | De Brasília


O Banco Central anunciou, na semana passada, para todas as corretoras independentes do país, um novo sistema de fiscalização e controle remoto que buscará evitar fraudes e melhorar os controles no mercado de câmbio, principalmente nas transações de baixo valor que têm trâmites simplificados.

É por esse tipo de operação que transita parte do dinheiro dos doleiros, contratos fraudulentos de exportações e importação e remessas fictícias. Segundo um diretor de corretora, há um "verdadeiro ralo de dólares" fora do radar do BC.

O novo sistema vai reunir informações captadas junto às corretoras, que serão cruzadas com os dados disponíveis no BC.

Segundo um dos participantes da reunião em que foi anunciada a medida, a ideia do BC é averiguar a aderência às praticas de prevenção à lavagem de dinheiro. Se a fiscalização encontrar indícios de crimes, os casos serão remetidos ao Ministério Público e à Polícia Federal.

O BC fez grandes investimentos em tecnologia para supervisionar remotamente o mercado, com o desenvolvimento de softwares e metodologias próprias para todo o sistema financeiro e não só para o mercado de câmbio.