Banco Central diz que depósito via boleto não facilita lavagem de dinheiro

Órgão foi questionado sobre prática adotada pelas fintechs, como Nubank


Em evento para discutir estratégias sobre controle de lavagem de dinheiro, o Banco Central foi questionado sobre estratégia de fintechs de usar boletos para depósitos nas contas digitais.

Fintechs como Nubank permitem que clientes paguem boletos para que efetuem depósito em conta digital, uma estratégia para driblar as altas taxas de transferência contadas pelos grandes bancos, ao redor de R$ 10 por transação.

Francisco José Barbosa da Silveira, chefe-adjunto do Departamento de Supervisão de Conduta do Banco Central, minimizou o risco de lavagem de dinheiro por meio do instrumento.

Atualmente, existe uma limitação de R$ 10 mil para pagamentos de boletos em dinheiro, lembrou. Valores superiores precisam ser pagos eletronicamente. Foi criado ainda um instrumento de monitoramento dos recebedores de valores por boletos, para minimizar fraudes.

“Alguém que recebe muito dinheiro em espécie seja no banco tradicional, seja no banco digital, precisa ser monitorado”, disse Silveira em evento promovido pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos )

Para ele, a tendência é que depósitos em contas digitais sejam feitos na maioria de forma eletrônica, pelo perfil de clientes que escolhem abrir uma conta digital e que depósitos em dinheiro devem ser exceção que deve ser monitorada.