Advogados de Araraquara são presos por tráfico internacional

Advogados foram detidos durante ação da "Operação Longa Manus", iniciada há sete meses, em Marília


A Polícia Federal de Araraquara prendeu dois advogados da cidade – um homem e uma mulher – acusados de envolvimento com o tráfico de drogas e ligação com membros de facção criminosa que age dentro e fora dos presídios do Estado de São Paulo.
 
Eles foram detidos hoje pela manhã, em ação de mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal de Marília com base em pedido da Polícia Federal da cidade na região de Bauru.
 
A ação faz parte da Operação Longa Manus, iniciada em Marília, e teve quatro mandados de busca executados em Araraquara. Os dois advogados, que atuam na área de Direito Criminal, foram detidos em casa e ficarão presos por 30 dias. O homem já havia sido detido em janeiro deste ano por suspeita de desvio de carga de agrotóxico escondida em área próxima ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Ele seria o intermediário da venda do material roubado e ficou alguns dias presos. Hoje, também foi encontrado um pequeno tablete de maconha na casa do advogado.
 
Segundo a investigação da Operação Longa Manus, ambos têm ligação com o traficante Orlando Marques dos Santos, o Seu Orlando, que cumpre pena na Penitenciária de Avaré por tráfico internacional de drogas. Há cerca de 15 dias, o detento passou pela Penitenciária de Araraquara para ser submetido a uma segunda cirurgia de bucomaxilo. Na cidade, Seu Orlando também passaria por uma audiência no Fórum Federal. Mas, a Polícia local teve informações de que ele seria resgatado no trajeto entre a Penitenciária e o Fórum, e o detento foi transferido para Brasília de avião, de forma sigilosa. Dias depois, o traficante voltou para Avaré.
 
Os advogados foram indiciados por crime de associação para o tráfico de drogas e tráfico de drogas. As penas, juntas, vão de 8 a 25 anos de prisão. Não foi informado para quais unidades prisionais os advogados foram encaminhados.
 
Operação
 
De acordo com a PF, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão temporária de 30 dias, em todo o Estado. Além dos dois advogados de Araraquara, foi detida mais uma advogada em Cândido Mota. Com ela, os federais apreenderam cartas de membros da cúpula da facção criminosa. Outras duas advogadas estão sendo procuradas.
 
As investigações da Operação Longa Manus começaram em maio deste ano. Em nota, a PF disse que as provas colhidas indicam que alguns advogados estariam extrapolando sua atuação profissional na defesa de seus clientes presos e "agindo como intermediários das ordens transmitidas pelo criminoso aos braços operacionais da quadrilha". Os advogados usavam de suas prerrogativas profissionais e faziam visitas quase que diárias, levando e trazendo informações, permitindo o funcionamento da quadrilha.
 
Também de acordo com a PF, Orlando Marques dos Santos, apesar de recluso, continuava explorando a atividade ilícita do tráfico.
 
Ainda segundo a PF, durante as investigações que já duram sete meses, foram apreendidos 200 quilos de cocaína, por meio do Departamento de Narcóticos de São Paulo (Denarc), órgão da Polícia Civil, em 22 de julho, e mais três toneladas de maconha descobertos pela Polícia Federal de Sorocaba, no último dia 18 de outubro.