Categories
Artigos

Como a AML está inovando no período de Home Office?

Alguns de nossos colaboradores explicam como estão se adaptando para continuar desenvolvendo e inovando os produtos e serviços da AML nesse período de quarentena. Assista:

Categories
Artigos

O novo papel dos cartórios após o Provimento nº 88

Guardiões da autenticidade e eficácia dos atos jurídicos do país, os cartórios brasileiros são o mais novo reforço na luta pela prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo. Desde 3 de fevereiro de 2020, data em que passou a vigorar o Provimento nº 88/2019, notários e registradores devem implementar mecanismos de prevenção a esses delitos em suas atividades, da mesma forma que ocorre com bancos e seguradoras, entre outras instituições. 

De acordo com o Provimento publicado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), uma comunicação deve ser encaminhada ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) nos casos em que a operação realizada perante os cartórios indique uma suspeita de lavagem de dinheiro.

Os cartórios precisam adotar políticas, procedimentos e controles capazes de detectar uma operação suspeita, com atenção especial a valores, forma de realização, finalidade, complexidade ou pela falta de fundamento econômico ou legal”, diz Luis Ramiro, diretor especialista da AML Risco Reputacional, líder nacional no mercado de soluções e serviços de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

Tudo começa no processo de onboarding, o momento de entrada de um novo cliente. É preciso que o cartório possua um programa capaz de checar seu risco reputacional e que, ao encontrar indícios de suspeição, emita um sinal de alerta. “Para a execução desse serviço, a AML oferece aos notários e registradores o Risk Money Due Diligence, maior banco de dados reputacional da América Latina, com mais de 1 milhão de perfis de pessoas físicas e jurídicas cadastrados“, afirma Ramiro. 

A ferramenta também possui a mais completa lista PEP (Pessoas Expostas Politicamente) do mercado, elaborada em total conformidade com as exigências da regulamentação vigente e as melhores práticas. “Nossas listas contemplam todos os cargos requeridos pelo Provimento nº 88 e ainda contam com um diferencial: mantém nomes que não são mais considerados PEP, mas que seguem influentes no cenário político”, ressalta o diretor especialista. 

 

Além de conseguir avaliar o risco envolvendo seus clientes, o cartório precisa monitorar detalhadamente todas as transações para detectar situações suspeitas de lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo ou fraudes. Para essa tarefa, a AML conta com o Risk Money Monitor, ferramenta adaptável aos critérios de risco determinados pela instituição. 

Integrado à diversas listas reputacionais, como a PEP, o programa armazena tudo o que é monitorado para fins de auditoria e gera um arquivo XML para comunicação direta com o COAF. 

“Ao contratar os serviços do Risk Money Due Diligence e do Risk Money Monitor, notários e registradores passam a contar com as duas melhores ferramentas do mercado utilizadas na prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo. E, assim, evitam sanções que podem recair sobre os cartórios pelo inadequado cumprimento das obrigações previstas no Provimento nº 88, como penas de advertência, inabilitação temporária e multas de até R$ 20 milhões, entre outros aspectos agravantes”, encerra Ramiro.

 

 

Categories
Artigos

Série PEP – Parte 4: o que diz a norma do Coaf?

Bem vindo à Parte 4 de nossa Série PEP – Pessoa Exposta Politicamente.

O que diz a norma do Coaf?

A norma do Coaf tentou atualizar o conceito de PEP, desfocando a condição de PEP e focando na operação efetivamente realizada pela Pessoa Exposta Politicamente

Isso é importante, focar primeiramente na transação, no cliente como um todo, no perfil de negócio do cliente e depois sim considerar o PEP como um sinal de alerta para ajudar você a fazer uma boa ordem e iniciar um relacionamento com aquele cliente. 

Além disso, ela integrou um número bem maior de pessoas que são consideradas PEP. A exemplo dos deputados estaduais, dos vereadores e dos dirigentes de partidos políticos

Aquelas pessoas que eram consideradas PEP, como os familiares e as pessoas de relacionamento próximo, passam a ter uma condição especial. Deve ser utilizada essa condição para a classificação de risco e para o acompanhamento das suas movimentações e das suas operações. Isso sim, é o mais importante!

A Série PEP da AML foi gravada entre janeiro e março de 2020. Contou com a participação de colaboradores e parceiros especialistas no tema e está alinhada às últimas normas publicadas em Dez/19 e Jan/20 pela CVM e pelo Bacen, respectivamente. 

 

Categories
Artigos

Conheça o Grupo Minori, parceiro da AML

O GRUPO MINORI é especializado em serviços de investigação privada e atua para os mais diversos segmentos econômicos, realizando ou criando artesanalmente ações investigativas internas e externas, administrativas e operacionais, conforme as necessidades de seus Clientes, atuando de forma discreta e furtiva.

Também presta apoio a áreas específicas como Jurídica, Auditoria, Controladoria, Compliance; bem como como, oferece suporte na identificação de provas e testemunhas em processos administrativos e judiciais, além de procedimentos policiais como inquéritos.

As ações sempre são pautadas dentro dos lSoluções em PLD/FT para as Instituições de Pagamentoimites e condições legais, salientando que não são exercidas atividades concorrentes ou usurpação a qualquer das áreas ou órgãos mencionados, servindo as atividades como ferramentas de auxílio.

Assim, trabalha essencialmente com atividades de Investigação Empresarial e Securitária voltadas à solução e à prevenção, destacando-se, adiante, as principais ações:

 

  • Implantação e Gestão de Canal 0800 ou de Relacionamento; Pesquisa de RH e Background Check (comercial, antecedentes, judicial, profissional);
  • Due Diligence Support (apoio à áreas competentes);
  • Compliance Office: (implantação, criação e adequação de ferramentas e Código de Conduta);
  • Auditoria Securitária (Sinistros de Automóvel; Responsabilidade Civil; Ramos Elementares como Residencial, Empresarial e Transporte; Seguro de Pessoas e Saúde.
  • Fraude de Boleto Bancário;
  • Inteligência em Psicologia e Comportamento (Teste e Entrevista de Integridade; Avaliação de Perfil Comportamental);
  • Cursos de Técnicas de Investigação de Fraudes Empresariais e Securitárias, e de Técnicas de Abordagem e Entrevista;
  • Coaching Executivo e de Negócios;
  • Violação da Propriedade Industrial, Intelectual ou Autoral;
  • Perícia Forense para Assistência Técnica Judicial (eletrônica; médica; veículo e acidente; contábil; engenharia; grafotécnica, para escrita, assinatura e documento; datiloscópica ou papiloscópica, para impressões digitais;
  • Infiltração de Agente;
  • Monitoramento Oculto (acompanhamento velado, campana ou vigilância);
  • Afastamento Funcional Fraudulento;
  • Localização de Bens e de Pessoas;
  • Reconstituição de Situações Suspeitas (cenas de acidentes e crimes);
  • Proteção de Negócios (contraespionagem com varredura eletrônica em canais de comunicação e ambiente);
  • Inteligência Competitiva (performance própria e concorrência através de ações como Cliente ou Fornecedor Oculto e Benchmarking);
  • Consultoria de Segurança e Riscos Patrimoniais, em Prevenção de Perdas e de Proteção Pessoal.
Categories
Artigos

Série PEP – Parte 3: quais os riscos de uma PEP para seu negócio?

Bem vindo à Parte 3 de nossa Série PEP – Pessoa Exposta Politicamente.

Qual o risco que uma Pessoa Exposta Politicamente (PEP) traz para o seu negócio?

A Pessoa Exposta Politicamente é simplesmente um sinal de alerta, é mais uma condição que você tem que considerar na relação com o seu cliente.

Pela própria natureza e pelo poder de influência inerente aos cargos das PEPs, alguns riscos acabam por ser potencializados, como aqueles relacionados à corrupção e lavagem de dinheiro. 

A pessoa por si só não deveria ser classificada com maior risco por ser uma PEP, mas sim a combinação da pessoa (PEP) com o tipo de negócio ou operação financeira que ela irá realizar deve exigir maior atenção das instituições.

Portanto, deve-se ter uma especial atenção à PEP de forma regulatória, mas o mais importante é considerar a transação como um todo e não deixar de realizar um negócio simplesmente porque a pessoa é exposta politicamente.

A Série PEP da AML foi gravada entre janeiro e março de 2020. Contou com a participação de colaboradores e parceiros especialistas no tema e está alinhada às últimas normas publicadas em Dez/19 e Jan/20 pela CVM e pelo Bacen, respectivamente.