EUA punem por corrupção 2 funcionários do governo de Maduro

Washington, 27 jun (EFE).- O Departamento do Tesouro de Estados Unidos sancionou nesta quinta-feira um ex-funcionário e um vice-ministro do governo do presidente Nicolás Maduro, que também foram acusados de receber propinas em troca de negócios no setor elétrico venezuelano.

O Escritório do Tesouro para o Controle de Ativos Estrangeiros (Ofac) puniu o ex-ministro da Energia Luis Motta Domínguez, que foi destituído do cargo e da presidência da estatal Corporação Elétrica (Corpoelec) em abril depois de ter ocupado esses cargos por quatro anos. O outro sancionado foi o vice-ministro de Finanças, Investimento e Alianças Estratégicas do Ministério da Energia, Eustiquio José Lugo Gómez.

“O Tesouro continuará acompanhando os funcionários que praticam corrupção à custa do povo venezuelano e, conscientemente, não fornecem serviços públicos básicos”, afirmou o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, no comunicado.

De acordo com o texto, em vez de utilizar a posição que tinham em benefício da população, eles enriqueceram ilicitamente e contribuíram para a crise elétrica.

Motta e Lugo também foram acusados na Flórida de oito acusações, uma por conspirar para cometer lavagem de dinheiro e sete por lavagem de dinheiro, em relação ao suposto recebimento de subornos em troca do favorecimento de empresas.

O Departamento de Justiça detalhou em outro comunicado que Motta e Lugo deram a três empresas com sede na Flórida mais de US$ 60 milhões em contratos com a Corpoelec, em troca de subornos. O, segundo a nota, violou a Lei Americana de Práticas Corruptas no Exterior (FCPA) e o dinheiro envolvido foi lavado através de contas em bancos da Flórida.

O Departamento de Estado se pronunciou sobre este caso e advertiu que os venezuelanos sofreram mais de 23.860 apagões este ano, que foram atribuído à corrupção “e a má gestão de Nicolás Maduro e relacionados a ele”. No comunicado, o órgão especificou que a corrupção de Motta e Lugo contribuiu diretamente para a deterioração do sistema elétrico da Venezuela. Em

1º de abril, Maduro mudou a cúpula do setor elétrico para atender a “grave situação” dos blecautes no país e nomeou Igor Gavidia como novo ministro e chefe da estatal Corpoelec. No último dia 6, ele foi substituído pelo engenheiro Freddy Brito Maestre. Lugo, por sua vez, foi designado por Motta como o vice-ministro de Finanças, Investimentos e Alianças Estratégicas em agosto de 2017. EFE.