Categories
Artigos

O impacto operacional nas instituições com a chegada da Circular 3.839/17

Na semana passada, o Banco Central publicou a Circular 3.839/17, que modifica as regras para saques de dinheiro em espécie no Brasil. No prazo de 180 dias, os bancos deverão solicitar de seus clientes uma comunicação prévia, com três dias de antecedência, para realização de saques em espécie no valor igual ou superior a R$50 mil. De acordo com a regulamentação vigente, essa comunicação ocorre com apenas um dia de antecedência, para saques no valor igual ou superior a R$100 mil.

Segundo o Bacen, a respeito da circular, os ajustes decorrem de discussões realizadas no âmbito da “Ação 13/2016” da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro. A ENCCLA é a principal rede de discussões para a formulação de políticas públicas voltadas ao combate aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O voto em questão busca aperfeiçoar procedimentos e controles relativos a operações envolvendo recursos em espécie.

Em 180 dias, quando as novas regras da Circular 3.839/17 entram em vigor, os bancos deverão requerer de seus clientes comunicação prévia, com 3 dias de antecedência, para realizar saques em espécie de valor igual ou superior a R$50 mil. Atualmente, essa comunicação ocorre com 1 dia de antecedência para saques de valor igual ou superior a R$100 mil”, informou o Banco Central.

As instituições vão precisar se adaptar

As instituições financeiras serão obrigadas a informar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) as comunicações prévias aos saques e as transações em espécie em valor igual ou superior a R$50 mil.

O impacto nas instituições financeiras vai além da simples redução do limite de R$100 mil para R$50 mil na comunicação prévia, comunicação automática, registros e controles. A alteração obrigará as instituições a ajustarem os triggers de suas regras de monitoramento de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo, projetar a necessidade futura de headcount (quantidade de pessoas que integram a empresa) e mapearem as possíveis melhorias de processos para elevar a eficiência operacional visando o aumento de receita e redução de custos como, por exemplo, novas contratações.

Neste cenário, o chamado hyper growth (crescimento exponencial de estruturas) sede espaço à Eficiência Operacional e se torna sinônimo de sobrevivência, passando a ser o principal foco dos investimentos das instituições financeiras, tanto para aumentar suas receitas, quanto para reduzir custos e despesas.

Tecnologia como eficiência operacional

O surgimento das novas tecnologias criou um novo espaço para gerar negócios e, frequentemente, as instituições estão investindo em projetos de ganhos de eficiência. A evolução da tecnologia e das comunicações vêm transformando profundamente as economias e, de forma diferenciada, os sistemas financeiros, já que otimizou a integração de informações vitais na estratégia operacional.

Entre as soluções focadas em Eficiência Operacional da AML Consulting, está o Risk Money Database para facilitar o Due Diligence e reduzir consideravelmente a burocracia aplicada, até então, neste processo.

Com mais de 700 mil perfis cadastrados, o Risk Money Database é o maior e mais estruturado banco de dados reputacional do país, oferecendo informações objetivas e filtradas sobre pessoas e organizações envolvidas em atividades ilícitas e/ou crimes antecedentes à lavagem de dinheiro, Pessoas Politicamente Expostas e pessoas envolvidas com terrorismo e seu financiamento.

Utilizando uma tecnologia avançada, a AML Consulting possui uma equipe com dezenas de profissionais especializados que fazem a triagem de dados em mais de 20 mil fontes de informações em todo o território nacional, possibilitando a automação dos processos de validação, monitoramento de cadastro e redução de tempo com pesquisas externas para focar no mais importante: na análise e aprovação final.

Categories
Artigos

AML oferece soluções completas para treinamentos corporativos sobre PLD-FT

Desde 1998, as pessoas obrigadas pelas Leis 9.613/98 e 12.683/12 passaram a estruturar programas de treinamento e reciclagem continuados sobre PLD-FT, destinados a todos os seus funcionários, colaboradores e prestadores de serviços, independentemente do nível hierárquico que ocupam ou das atividades que exercem, exceto aqueles ligados às atividades de manutenção, limpeza, portaria e outros serviços gerais.

Contudo, de acordo as recomendações das principais autarquias, esses programas devem ser diferenciados em relação a frequência, abrangência e profundidade, de acordo com os diferentes públicos-alvo elegíveis para essas ações.

Com base essas premissas, a AML Risco Reputacional desenvolveu soluções que atendem às diferentes necessidades dos seus clientes, seja qual for o porte da instituição ou seu segmento de atuação.

Curso Avançado de PLD-FT

Concilia aspectos teóricos e práticos de forma bastante adequada, permitindo a preparação e a reciclagem dos profissionais que atuam com gestão de riscos.

O curso, que já se tornou referência no mercado, contempla um conteúdo programático bastante técnico e assertivo, elaborado por instrutores altamente qualificados e com profundo conhecimento e experiência no assunto.

Trata-se de uma importante oportunidade para compreender a legislação e a regulamentação vigentes, bem como as melhores práticas de mercado adotadas para a implantação de políticas, normas, procedimentos e controles internos para o monitoramento de transações e clientes, realização de investigações, elaboração de relatórios de inteligência financeira e para a realização das devidas comunicações ao Coaf.

Público-alvo: Profissionais que atuam ou que desejam atuar em áreas de Prevenção à Lavagem de Dinheiro, Governança Corporativa, Riscos, Compliance e Auditoria Interna.

Palestra de PLD-FT

As palestras in company ministradas pela AML Risco Reputacional são totalmente customizadas, de acordo com cada segmento, e adequadas às políticas e normas de PLD-FT de cada instituição.

Com carga horária de três horas e uma abordagem personalizada, essas palestras são desenvolvidas em conformidade com o disposto na legislação e regulamentação vigentes e com as melhores práticas de mercado, contemplando conteúdos programáticos elaborados de acordo com as exigências de treinamento e reciclagem periódicos exigidos pelos órgãos de regulamentação e supervisão.

Ao final de cada palestra, são aplicadas avaliações de aprendizado, visando assegurar níveis mínimos de absorção e ciência das informações e conhecimentos transmitidos.

Essas ações resultam no fornecimento de certificados individuais e consolidados a serem exibidos em contextos de auditorias e fiscalizações.

Público-alvo: Profissionais que atuam em áreas consideradas mais sensíveis como ouvidoria, cadastro, mesas de operações, produtos e atendimento ao cliente.

Treinamento Online de PLD-FT

O Treinamento Online de PLD-FT oferecido pela AML Risco Reputacional já foi utilizado por milhares de colaboradores em centenas de instituições atendidas. A linguagem utilizada vem permitindo que os profissionais que nunca tiveram contato com o tema recebam orientações sobre como prevenir e combater operações e situações de alto risco para o sistema financeiro.

Recentemente, recebeu novas versões customizadas para os diferentes segmentos do mercado financeiro, sendo considerado atualmente o recurso de ensino à distância mais atualizado do mercado.

Desenvolvido para acesso em ambiente web, torna as atividades de treinamento mais práticas e acessíveis a todos os colaboradores, de acordo com as disponibilidades de horário e independentemente de localização geográfica de cada público-alvo.

A plataforma, que pode ser gerenciada pelas áreas de RH, Compliance ou PLD-FT, fornece relatórios de gestão dos participantes.

Público-alvo: Todos os profissionais da instituição. Também é indicado aos novos colaboradores, que podem realizar o treinamento dentro das ações que envolvam processos admissionais.

Categories
Artigos

AML Consulting participa de maratona hacker sobre prevenção à corrupção

Neste final de semana, 03 e 04 de junho, aconteceu o “Hack in Sampa”, maratona hacker com a temática “Mecanismos de prevenção e combate à corrupção e o desperdício de recursos públicos” na Câmara Municipal de São Paulo. O evento foi realizado pela Horizon Four e da Cidade Viva, além de contar com patrocínio da Fecomercio e apoio da IBM Brasil, Eureka Coworking e Câmara Municipal de São Paulo.

O “Hack in Sampa” contou com onze equipes pré-selecionadas, que passaram todo o final de semana no plenário da Câmara Municipal de São Paulo criando aplicativos de combate à corrupção utilizando os dados públicos do município. 

Na oportunidade, o responsável pelo departamento de Tecnologia da AML Consulting, Willian Gigiotti, participou como mentor das equipes e auxiliou os participantes em seus respectivos projetos. “O conhecimento dos processos políticos e licitatórios, bem como a apropriação dos gastos públicos pela sociedade, através do acesso à informação, é fundamental para o amadurecimento da democracia participativa no Brasil”, diz Gigliotti.