Fernando Sarney omite centro de futebol em Imposto de Renda

Em diálogo captado pela Polícia Federal, o empresário Fernando Sarney, vice-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), diz manter um negócio de venda de jogadores de futebol no Maranhão. No entanto, o empreendimento não está declarado em seu Imposto de Renda do ano passado, informa reportagem de Leonardo Souza, publicada nesta sexta-feira pela Folha

Segundo a reportagem, na conversa, gravada com autorização da Justiça, o filho do senador José Sarney (PMDB-AP) conta a um interlocutor não identificado que possui um centro de treinamento com 28 jogadores em Imperatriz (MA) e que no ano passado vendeu quatro deles para o clube Cruzeiro (MG).

O diálogo foi captado na Operação Boi Barrica, acompanhada pelo Ministério Público e pela Justiça Federal.

O código de ética da Fifa veda aos dirigentes de suas entidades associadas, como a CBF, a realização de negócios que representem conflito de interesses e que se traduzam em ganhos financeiros pessoais, para parentes e amigos.

Outro lado

A CBF informou que não iria se manifestar sobre o assunto por desconhecer a atividade exercida por Fernando e a investigação da PF.

A reportagem tentou falar com Fernando e seu advogado, Eduardo Ferrão, mas eles não ligaram de volta.